sandra aka margarete ~ acknowledgeyourself@gmail.com

sacramento da cisão

Os dedos das pétalas abotoam-me por um fio
Encarquilho a ecoar ferimos a vista de nomes *
Toco a córnea da polpa. Fere. Aferrolho o tentáculo

Nas asas engato as penas da forquilha comungo
Agracio a ausência de sermão punhado de calhau
Único espelho te esconjuro. Avé, casta heresia.

still de Asas do desejo, Wim Wenders

* Nuno, ali

3 comentários:

nuno disse...

'Atrás dele o passado dá à costa, acumula entulho sobre as asas e os ombros, um barulho como de tambores enterrados, enquanto à sua frente se amontoa o futuro, esmagando-lhe os olhos, fazendo explodir como estrelas os globos oculares, transformando a palavra em mordaça sonora, estrangulando-o com o seu sopro.' Heiner Müller


fere. um gesto apenas em abrir e fechar as palavras. nos nomes baptizados pela aspersão dos dedos em ausência.


bom dia:)

manuel disse...

Este still é lindo. Lembra-me aqueles filmes expressionistas alemães.

margarete disse...

é isso mesmo, Nuno! acertas sempre na mouche :)

este still é mesmo dos meus preferidos, Manel :)***