sandra aka margarete ~ acknowledgeyourself@gmail.com

post reproduzido do blog da Lebre _ There's only 1 Alice

NASCEMOS PARA O SONO
manhãs magníficas!
este poema vem mesmo mesmo mesmo a calhar...
...a propósito de aproximações


Nascemos para o sono,
nascemos para o sonho.
Não foi para viver que viemos sobre a terra.
Breve apenas seremos erva que reverdece:
verdes os corações e as pétalas estendidas.
Porque o corpo é uma flor muito fresca e mortal.


Poesia Mexicana do Ciclo Nauatle,
mudada para o português por Herberto Helder em Poesia Toda,
Assírio & Alvim, Lisboa, 1990

A imagem "http://i33.photobucket.com/albums/d79/arrozal/pipilottirist1.jpg" não pode ser mostrada, porque contém erros.
fotografia de Pipilotti Rist
poema e fotografia surripiados à Lebre
refª bibliográfica encontrada ali

1 comentário:

saudosista do futuro disse...

digo lá e digo aqui.

"Porque o corpo é uma flor muito fresca e mortal".

________________
_______________________________

...
(reNasço para o son(H)o)