sandra aka margarete ~ acknowledgeyourself@gmail.com
Exalo o fumo da última inalação. Mais um
cenário doméstico de repetição. Escondo
o ruído das viações que circulam ali
em baixo. Descolo o tecido das peles
e amarroto o papel que separei da prata.
Incendeio o seguinte lamentando. Lamento
a esta hora uma infinidade de ai’s.
Agarro-me cheia de isto que tenho
sido. Picam-me os cabelos na cara.
Escapei da maternidade de que lembro


os lamentos. Ai. Penso mal de mim
que não esqueço ao queimar o fumo


a ocorrência do pescoço esburacado


queimado cerzido. Moo tanto os ai’s.
Arrancara-me daqui eu forte cumpriria
algo em honra de um pouco de sabedoria.
Abaixo as minhas aflições. Abaixo. Abaixo.



Amainada queimo lento este
agora percebo
a impressão das marcas que me dei com os pés.
Se for esburacada a minha pele.
É bem feito.
A execução destas coisas é
estranheza. Perturba-me escassamente
a urgência
pelos teus beijos.


ilustrações de Cláudia Santos Silva aka blue :)

2 comentários:

blue disse...

gosto imenso. diria mais: parece terem sido os desenhos feitos para para o teu texto!

:)

(obrigada, margarete)

margarete disse...

obrigada também! :)*